INSCRITAS URBANAS

Fernanda Fedrizzi

2019

As inscritas urbanas surgiram em caminhadas por Pelotas/RS. A primeira fazendo referência ao trabalho Topofagia [v.1], ampliando os horizontes do pensar a palavra como denotadora de sentido das coisas e a influência do ínfimo na produção de sentido na cidade. –fagia vem de comer e só ocorre em substantivos femininos (abstratos). A segunda surgiu após uma conversa no Cemitério de Pelotas, onde um funcionário respondeu a minha pergunta "tu considera este lugar uma cidade?" com uma negativa, seguida da frase que aparece pendurada pelas ruas: “não, a cidade é a habitação dos vivos”. Nessa, as vezes, inseria um ponto de interrogação. “Quem ocupa este espaço?", "isto é um lugar?", "quem não está aqui?", "quem é vivo na cidade?“.

Inscritas urbanas

2019 - Porto Alegre/RS e Pelotas/RS

impressão digital

papel sulfite 180g/m²

dimensões individuais: variadas